Foi realizado na noite desta quarta-feira (23), o VI Colóquio de Psicologia, no auditório João Altivo Bergamo, na Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB). Nesta edição, os psicólogos Bruna Cella, Igor Madeira e Marília Silva trataram do tema "(In)fidelidade: revendo as relações, construindo os afetos". As apresentações foram assistidas por cerca de 100 pessoas, entre estudantes e profissionais da psicologia.

A primeira palestra foi ministrada pela psicóloga e sexóloga Bruna Cella. Ela contou casos vivenciados no consultório, preservando a identidade dos pacientes e tratou do assunto utilizando a linguagem do cotidiano, de forma divertida e abrangente.“Falar de sexo é um tabu, então precisamos tratar o assunto de forma espontânea, sem medo, preconceito ou outras formas negativas. Utilizo um palavreado popular, mas embasado na fundamentação teórica. O sexo tem que ser visto sempre de uma forma positiva”, disse.

O segundo palestrante, Igor Madeira, fez uma abordagem voltada para as questões biológicas envolvidas no universo dos relacionamentos. “Trouxe uma visão diferente do que os alunos veem na sala de aula. Muitas vezes a gente fala de aspectos psíquicos, e pouco da relação psico-biológica. A escolha e a preferência de parceiro, a característica que a pessoa precisa ter para que você se interesse por ela, tudo isso traz o viés biológico”, afirmou o psicólogo analista de comportamento.

“Falei sobre os relacionamentos poliamorosos, amores livres. Não abordamos a questão da infidelidade. Nas formas livres de amor há um consenso entre as partes para que haja essa liberdade. Elas se relacionam e combinam essa permissão de se relacionarem com outros pares. Cada vez mais pessoas estão percebendo que o que se sente é diferente do que a sociedade construiu ao longo do tempo”, comentou Marília Machado, psicóloga e feminista, que apresentou a última parte da palestra.

A organizadora do Colóquio, professora Anchielle Silva, fez uma avaliação do evento. “Os convidados cumpriram a expectativa de forma excelente, tanto que o público participou bastante no final. Os palestrantes trouxeram as várias formas de entender o comportamento de quem é infiel, explicaram como esse conceito de infidelidade foi concebido e mudou ao longo do tempo. Um evento como esse serve para entendermos que a realidade mudou, e que as pessoas estão se sentindo mais livres para falar sobre relacionamentos amorosos”, disse.

“Quando a gente entende sobre a interferência dos fatores estudados pela biologia, sexologia e do viés sociológico, isso amplia os recursos na hora de tratar um paciente com esse tipo de situação. ”, comentou o psicólogo Emanuel Messias. Para Brena Fonseca, estudante do Curso de Psicologia da Fasb, o evento ‘transformou-se em uma boa oportunidade para debater o tema infidelidade por diversas perspectivas”. Ela crê que, devido às transformações da sociedade atual, muitos pacientes com esse tipo de problema vão aparecer no consultório quando estiver atuando na profissão, em um futuro próximo.

Para participar do VI Colóquio de Psicologia da FASB, cada pessoa doou uma caixa de leite que será destinada a ações sociais da faculdade, que integram o calendário de atividades da instituição, voltadas para as comunidades carentes.