O Colóquio de Psicologia da Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB) trouxe, na sétima edição, o tema “Imagem Corporal” sob a ótica da Educação Física, Psicologia e Nutrição. O evento foi realizado na noite desta quarta-feira (20), na sede da instituição. O assunto, também conhecido como “consciência corpórea”, trata da forma com que cada indivíduo percebe o próprio corpo. Um grupo de alunos abriu a série de apresentações com a simulação de depoimentos de famosos que passaram por graves problemas de saúde, por conta do culto ao corpo baseado em visões distorcidas da realidade.  

O premiado fisiculturista barreirense, Katão, fez um relato sobre o começo da carreira e as dificuldades que enfrentou para dar aos treinamentos um aspecto profissional. “Comecei no ano 2000. Naquela época as coisas eram bem difíceis, a informação não chegava. Eu não sabia, sequer, preparar uma alimentação adequada. Mas hoje as pessoas estão numa situação bem mais confortável, com tantos recursos novos”, disse. “Mas devemos tomar cuidado para não seguir conselhos errados, a saúde é o mais importante”, alertou.

A psicóloga Shimony Coelho citou o aumento da ocorrência de problemas de ordem psíquica, como a anorexia, bulimia e a ortorexia. Enquanto as duas primeiras são distúrbios alimentares, que têm efeitos graves na estrutura corporal e, consequentemente, afetam a saúde, a terceira é um transtorno alimentar recentemente diagnosticado, que surge quando a pessoa se torna obsessiva quanto aos padrões daquilo que come. “Ambas devem ser tratadas nos primeiros sinais”, recomendou. Ela tratou também do aspecto cultural e dos fatores que podem levar a esses tipos de patologias, como o culto excessivo ao corpo, maus hábitos alimentares, distorção da imagem corporal, sentimento de culpa, questões hormonais, distúrbios emocionais e baixa autoestima. "Temos que entender o que está por trás dessa imagem apresentada pela mídia. Além do machismo e a pedagogia visual do feminino, há o interesse comercial. Essas questões podem levar aos transtornos alimentares, emagrecimento extremo, entre outros problemas”, finalizou.

“A cada dia há maior propensão às patologias ligadas ao hábito alimentar entre indivíduos de 12 a 25 anos. Então é necessário que as pessoas consumam alimentos, não apenas nutrientes. As práticas alimentares devem ter significado social e cultural. É isso que afirma a Organização Mundial da Saúde”, explicou a nutricionista Priscila Walker. Ela disse ainda que as pessoas devem evitar dietas milagrosas e os modismos disseminados, principalmente nas mídias sociais.

Durante o evento o estudante de Psicologia, Hebert Pereira, fez uma breve abordagem das mudanças do culto ao corpo ao longo do tempo, desde períodos remotos da história, até os padrões de beleza estabelecidos no século XX, que influenciam os tempos atuais. A triatleta Manoela Elias, contou ao público como faz para conciliar boas práticas alimentares, cuidar dos dois filhos e do marido, sem abrir mão da carreira esportiva. Jadson Guedes, egresso do curso de Educação Física da FASB e especialista em fisiologia do exercício, disse que o ‘boom’ das academias, que hoje tem mais de 30 unidades em Barreiras, se deve, também, ao aumento da obesidade e, principalmente, pela busca de melhoramentos estéticos por parte das pessoas.

“Aliar Educação Física, Psicologia e Nutrição pode dar resultados capazes de transformar o panorama, reduzindo o aumento das doenças provocadas por distúrbios alimentares, tratando da falta ou excesso de exercícios físicos e combatendo o uso de substâncias que agem na modificação do corpo. Eu espero que a médio ou longo prazo possamos contribuir para esta nova mentalidade em que as pessoas tenham como objetivo principal a saúde, não apenas a estética”, acredita Taís Oliveira, estudante do 7º semestre do curso de Educação Física da FASB.

A professora Beatriz Rabelo, organizadora do Colóquio, avaliou o evento.“Atingiu o objetivo não só pela disposição dos alunos que na sua grande maioria está em período de provas finais eles se disponibilizaram tanto para organizar o evento quanto para participarem os nossos convidados também trabalharam o tema de maneira muito útil que a imagem corporal. Como foi dito por nossos palestrantes, a questão que está em pauta é a busca pelo corpo perfeito sem considerar a questão da saúde e isso vem provocando o adoecimento nas pessoas. O nosso objetivo nesse Colóquio é promover essa reflexão, na tentativa de que eles venham visualizar essa nova população, esse novo campo de trabalho como pessoas que procurem não só a estética, mas uma vida saudável”, destacou.