A turma de Fisioterapia da Faculdade São Francisco de

Barreiras (FASB), que concluiu a graduação no final de 2018, teve sua colação de grau realizada nesta terça-feira (19), no ginásio de esportes da instituição, com direito a boas lembranças do período de formação e uma significativa dose de saudade. O cerimonial, presidido pela diretora acadêmica Marilissa Dobrachinski, foi acompanhado por centenas de familiares e convidados. Em seu discurso, a coordenadora do curso, Magda Teixeira Reis, definiu, em poucas palavras, a profissão. “Ser fisioterapeuta é nunca desistir, é trabalhar e potencializar habilidades remanescentes e proporcionar melhor qualidade de vida às pessoas”.  A professora Luciane Cristina Joia foi a homenageada.

Tadeu Sérgio Bergamo, diretor-presidente do Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras, Iaesb, entidade mantenedora da FASB, contou a história do curso de Fisioterapia, que foi o pioneiro entre os cursos de saúde, e revelou um feito relevante protagonizado pela turma de formados. “Esses profissionais têm a missão de tentar restabelecer, com dedicação e ética, todas as condições de uma boa vida para cada um dos pacientes. Mas isso eles fazem desde o ano passado, com mais de cinco mil atendimentos de reabilitação gratuitos, prestados às pessoas que não têm condições de pagar. A sociedade, como um todo, não consegue mensurar o quanto foi importante para a cidade de Barreiras e a região oeste esse trabalho feito por eles, silenciosamente”, informou.

O orador da turma, Denis Marques Dantas Góes, lembrou das alegrias, contribuições, dos dias mais difíceis passados durante o curso e contou seus planos para o futuro próximo. “Estou com uma expectativa muito grande para a nova fase que vem pela frente. Me sinto preparado, inclusive, já tenho emprego em vista. Vou sempre lembrar da luta que travamos para continuar estudando, mas a palavra que define esse meu período aqui na FASB é ‘superação’. Não vou parar de estudar, porque o mercado está cada dia mais exigente e eu quero continuar apto a exercer a fisioterapia da melhor maneira possível”, disse

“Para chegar até aqui eu passei por diversas dificuldades, não foi fácil. Em muitos momentos pensei que não fosse conseguir, mas no final, deu tudo certo, com o apoio da faculdade e a minha persistência. O aprendizado nunca é suficiente, mas o que recebi até agora me torna preparada para ingressar no mercado de trabalho, para cuidar de pessoas e ajudar a transformar o mundo ao meu redor”, afirmou Juciellen Reis de Souza, jovem que veio de Cristalândia, no Piauí, e realizou o sonho de alcançar o nível superior.