A Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB) participou, no bairro Barreiras I, no sábado (17), do acampamento da Ação Cívico Social (Aciso). Um projeto do Exército Brasileiro, que reuniu instituições públicas e particulares com o objetivo de oferecer à comunidade uma gama de serviços nas áreas de saúde - com consultas e testes rápidos -, meio ambiente, orientação jurídica e financeira, psicologia, assistência social, informações sobre trânsito, cursos profissionalizantes e cidadania.


“Por meio da Ação Cívico Social, unimos os “braços” das entidades federal estadual e municipal em um dia de ação social, reafirmando o slogan da corporação, que é ‘Braço Forte - Mão Amiga’. O Barreiras I é uma comunidade vizinha ao 4º BEC, e precisa como tantos outros bairros, desses atendimentos gratuitos com informações e prestação de serviços. É um momento de aproximação entre a população, a Polícia Militar, Prefeitura, Detran e unidades de ensino superior”, argumentou o tenente-coronel Cavadas, subcomandante do 4º Batalhão de Engenharia e Construção (4ºBEC), responsável pela coordenação geral do evento.


A FASB teve quatro equipes atuando no evento: a de Medicina, com estudantes realizando testes rápidos e a triagem para as consultas médicas, que foram feitas pelo Dr. Nailton Jatobá Filho, professor na instituição, e Gabriel Vasconcelos, médico convidado; a equipe do curso de Direito, com a promoção das práticas jurídicas; Enfermagem, que deu apoio à equipe de Medicina nos procedimentos e a de Psicologia, com a orientação de acesso aos tratamentos por meio da clínica escola.


Juliana Santana, professora do curso de Medicina, e preceptora da Liga Acadêmica de Saúde Coletiva da FASB, falou sobre os serviços oferecidos à população. “Trouxemos aferição da pressão arterial, glicemia capilar, peso altura e IMC, testes rápidos de HIV e hepatite, além das consultas de clínica médica. Realizar esse tipo de atividade é extremamente importante para o aluno porque faz com que ele entre em contato com a população, principalmente a mais carente, e desenvolva além dos aspectos técnicos relacionados à própria Medicina, também o processo de inclusão social, da humanização da assistência. É importante conhecer a realidade das pessoas que realmente precisam”.

A estudante Marla Jalinne de Almeida, do 10º semestre do Curso de Psicologia, ponderou acerca da oferta de serviços de forma gratuita, para pessoas em situação de vulnerabilidade social. “É de extrema importância que todas as pessoas tenham acesso às áreas de saúde, assistência social e educação que formam os pilares dos direitos básicos do cidadão. Muitas desconhecem o direito a essa assistência, principalmente na psicologia, que algum tempo atrás era uma atividade elitizada, mas mudou com as lutas promovidas pela categoria e estamos aqui para ajudar a mudar esse conceito. Além do direcionamento para os CRAS, CREAS, CAPES, postos de saúde e hospitais, temos também a Clínica-Escola, que é um serviço da Faculdade São Francisco de Barreiras concebido pata atender aqueles que não tem condições financeiras e precisam de auxílio de psicólogos”, informou.