Um passeio repleto de novas experiências, conhecendo um pouco do universo do ensino superior. Foi assim que alunos do ensino médio da Coopeb passaram a tarde da última quinta-feira (22), durante a visita técnica às instalações da sede da Faculdade São Francisco de (FASB). A programação começou no auditório da instituição, com um bate-papo entre a turma, a diretora acadêmica Marilissa Dobrachinski e a diretora de pesquisa e extensão Emília Karla Amaral falaram sobre os cursos oferecidos.

Logo em seguida, estudantes da Coopeb, diretores e professores da FASB realizaram um tour pelos laboratórios dos cursos da área de saúde, estúdios de Produção Audiovisual, biblioteca, campo experimental de Agronomia e departamentos de uso compartilhado. “A visita à FASB está disponível para todas as escolas. É importante que os estudantes, e também os pais, venham conhecer os trabalhos que estamos realizando. O projeto pedagógico da instituição, que já tem 20 anos de evolução, é um dos mais fortes fatores de desenvolvimento do panorama regional atualmente. E ainda tem muita coisa boa por vir”, afirmou o coordenador do curso de Agronomia, Jorge da Silva Junior.

Em alguns ambientes, como o laboratório de anatomorfofisiologia, os estudantes tiveram contato com os acadêmicos da FASB, em plena aula. “A estrutura é muito boa, com laboratórios modernos. Mas o que mais me chamou a atenção foi a qualidade dos profissionais”, destacou a estudante da Coopeb, Luana Pessoa. O jovem Lincoln Massari Jezuíno de Oliveira também comentou sobre a visita. “Foi surpreendente. Não sabia que Barreiras contava com uma instituição tão bem estruturada. Para mim foi fantástico, principalmente os laboratórios de Agronomia e o nível de instrução dos professores”.

“Muitos deles ainda não sabem o curso que querem fazer. Então, o contato com essa gama de cursos oferecidos pela instituição vai dar oportunidade para eles escolherem um caminho a seguir. Foi uma tarde de observação, para compreender o dia a dia dos alunos em cada curso, as características do fazer pedagógico entre outras peculiaridades do ensino superior que são distintas da vivência atual deles”, disse a professora Ivana Espinheira, uma das responsáveis pelo acompanhamento da turma durante as atividades.