Turmas do 4º semestre do curso de Direito do Centro Universitário São Francisco de Barreiras (UNIFASB), organizadas em 16 grupos, apresentaram a 6ª edição da exposição “Barreiras sob o enfoque criminológico”. O trabalho tem como objetivo principal, oportunizar conhecimentos relacionados à Criminologia, que é considerada uma ciência empírica e interdisciplinar, com foco nas condutas delitivas e na questão da vulnerabilidade social, identificadas na cidade de Barreiras. A culminância do projeto, com a exibição dos painéis, ocorrem no hall do prédio I, nos quarta-feira (20)  (noturno) e sexta-feira (22) (matutino), na sede da instituição.

O professor Aderlan Messias chamou a atenção para o perfil que deve ser buscado pelo aluno na disciplina de Criminologia. “Nosso intuito é, basicamente, formar um aluno crítico, reflexivo e não apenas técnico e dogmático, porque a gente tem várias áreas do Direito que trabalham com essa perspectiva. Essa é uma disciplina mais filosófica, que vai, de certa forma, contribuir para esta formação mais humana, mais racional, de pensar nos fatores que desencadeiam uma conduta delitiva”, observou. Além de trazer a discussão teórico-prática, segundo o professor, os acadêmicos conseguem, com esse trabalho, desenvolver a questão científica que norteia o ensino superior, baseada no tripé ‘ensino, pesquisa e extensão’.

“Com esse trabalho observamos um intenso crescimento profissional e humano em todos dos grupos. Ir a campo em busca de informações que expliquem a problemática identificada, nos faz crescer e criar mais ânimo para seguir nessa carreira”, explicou a estudante Juliana Tavares Gomes. Outro aluno, Felipe Mota, vê na exposição uma boa forma de compartilhar aprendizados. “Como o Direito é uma área que abrange todos os aspectos da vida social e nós não sabemos ainda em qual desses iremos nos especializar, é muito importante participarmos de um trabalho em que um grupo aprende, também, com a pesquisa do outro”, justificou.

A produção dos artigos que serviram de base para os painéis da exposição foi, segundo o colegiado do curso de Direito do UNIFASB, um trabalho criterioso, desenvolvido ao longo do semestre. No primeiro momento os alunos elaboraram um anteprojeto, em seguida desenvolveram a pesquisa, o trabalho de campo e, por fim, a exposição. “A gente consegue perceber o avanço do aluno, porque ele apresenta desde a primeira versão da produção escrita até a versão final. A evolução se dá no desenvolvimento textual, na capacidade de pesquisar e produzir conhecimentos. Na parte final, é a vez de testar e aperfeiçoar a oratória, que é uma das principais habilidades a serem dominadas por um profissional do Direito”, avaliou Aderlan.