VIVÊNCIAS DE MÃES DE FILHOS/AS COM DEFICIÊNCIA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA.

Fabiana da Silva Grossi, Kelly Nunes Crisostomo, Rafaela dos Santos Souza

Resumo


Introdução: vivenciar uma situação em que o/a filho/a nasce com deficiência pode trazer efeitos principalmente sobre os sentimentos das mães, tendo em vista suas percepções, frustrações e dificuldades. Objetivo: analisar os estudos que tratam das vivencias de mães de filhos/as com deficiência no Brasil nos últimos 10 anos (01/2006 a 09/2016). Método: trata-se de uma revisão sistemática realizada a partir da analise de 28 artigos científicos selecionados dentre 39 trabalhos encontrados por mecanismos de buscas nas bases de dados: Lilacs, Medline e Scielo, incluindo os seguintes descritores “mães” combinada com “filhos com deficiência”. Resultados: comprovou-se que em um período maior de 2008 até 2014 foram apresentados um número mais expressivo de publicações, totalizando 67% da amostra. Contudo, de 2015 até 2016 a proporção foi de 14%, representando uma desaceleração na produção de estudos envolvendo mães de filhos com deficiência. Quanto às regiões do Brasil, o Sudeste foi o que mais produziu conhecimento na temática supracitada (53%), seguido pela região Sul do país (21%) e Centro Oeste (14%). Os principais temas de pesquisa abordados neste artigo foram selecionados por categorias e os de maior representatividade foram: as dificuldades de mães de filhos/as com deficiência (35%) e os sentimentos (32%). Conclusão: é importante investigar sobre as vivências das mães de filhos/as com deficiência que poderão influenciar nos comportamentos, ajustamento social e desenvolvimentos das crianças se não forem exploradas, visto que é sobre as mães que acarretam as maiores responsabilidade dos cuidados com os/as filhos/as com deficiência.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.